Search This Blog

Monday, February 15, 2010

24833

Expresso em cada verso o que hoje sinto
Diverso do que um dia imaginara
Mergulho neste mar e na água clara
Descrevo a maravilha em puro instinto.
Nas ânsias desta insânia ora me tinto
E vejo o que talvez a alma pensara
Durante os devaneios. Já me ampara
A luz das ilusões, medo desminto.
Pereceram errôneos caminhares
Mas quando perceberes e notares
Altares do que fomos soerguidos
Das sombras dos temores, tu virás
Trazendo finalmente a mão audaz
Em sonhos previamente concebidos.

No comments:

Post a Comment