Search This Blog

Tuesday, February 2, 2010

24063

Homem pelo tédio já vencido
Embrenha-se entre névoas, trevas, medos
E quando se desnudam os segredos
O quanto fora ainda está perdido,

Ao vê-lo transtornado não duvido
Do quão enorme foram meus enredos
E teço no vazio, dias ledos
Amortalhado sonho envilecido.

Aonde se pensara em luz e glória
A noite sem luar tão merencória
Orgástica loucura toma a cena

Uma alma que se entrega sem combate,
Enquanto a vida traz a quem debate
Uma incerteza atroz, dúvida acena...

No comments:

Post a Comment